Você sofre com dores no quadril?

Entenda o que realmente causa dores, limitação dos movimentos e desgaste no quadril

Dores no Quadril: a coluna vertebral comprime e machuca os nervos, alterando a sensibilidade do quadril, irradiando dores e outras sensações que são percebidas pelo cérebro como ardência, queimação, dormência, formigamento, choques, fisgadas, ferroadas, coceiras.

Artrose no Quadril: a coluna vertebral comprime os nervos, dificultando o controle do cérebro sobre os músculos. Causa tensão, encurtamento e fraqueza muscular, com a consequente aproximação dos ossos, provocando atrito e desgaste das cartilagens, quando você está em movimento.

Fraqueza no Quadril: a coluna vertebral comprime e bloqueia parcialmente os nervos, alterando controle do cérebro sobre a força do quadril que é a base de sustentação da coluna vertebral, e o centro de força e equilíbrio de todo corpo.

Instabilidade Articular no Quadril: encurtamento muscular aproxima os ossos, deixando os ligamentos com frouxidão/folga, causando a instabilidade na articulação, e predispondo a luxações.

Impacto Femoroacetabular: a coluna vertebral comprime os nervos, dificultando o controle do cérebro sobre os músculos, causando tensão, encurtamento e fraqueza muscular, com a consequente aproximação dos ossos e frouxidão dos ligamentos, deixando a articulação instável, aumenta o impacto entre fêmur e acetábulo.

Lesão do Labrum: tensão, encurtamento e fraqueza nos músculos da coxa (principalmente na virilha), a aproximação dos ossos, e a frouxidão dos ligamentos, deixa a articulação instável, o fêmur sai do alinhamento, ficando mais lateralizado, com maior impacto no labrum acetabular.

Pubalgia: a aproximação das vértebras comprime os nervos na transição da coluna torácica para a coluna lombar, e da raiz neural de L1 irradiam as dores intensas para o púbis.

Sacroileíte: a aproximação e deslocamento das vértebras na transição da coluna lombar para a coluna sacral, comprime o nervo ciático, irradiando dores para articulação entre os ossos sacro e ilíaco.

Osteonecrose da Cabeça Femoral: a compressão das vértebras produz tensão e retração dos nervos, desencadeando retração e diminuição do calibre das artérias, e a redução do aporte sanguíneo para a cabeça do fêmur, que necrosa por falta de sangue.

Dores na Virilha: a coluna vertebral comprime e machuca os nervos na transição da coluna torácica para lombar em L1, irradiando dores tão intensas para a virilha, ao ponto de travar os movimentos da coxa e perna.

Tendinite no Quadril ou Tendinite Trocantérica: encurtamento muscular sobrecarrega os tendões, que passam a ter ruptura de suas fibras.

Bursite no Quadril ou Bursite Trocantérica: encurtamento muscular sobrecarrega os tendões, e os tendões comprimem a bursa, gerando o processo inflamatório.

Síndrome do Piriforme: a aproximação e deslocamento das vértebras na transição da coluna lombar para a coluna sacral, comprime o nervo ciático, irradiando dores para o músculo piriforme, que se contrai de forma intensa, tem uma contratura muscular forte e comprime ainda mais o nervo ciático.

Dor no Cóccix: a aproximação e deslocamento das vértebras na transição da coluna lombar para a coluna sacral, comprime os nervos da cauda equina (porção final da medula espinhal), irradiando dores para o cóccix.Q

Quer entender melhor essa relação entre a coluna vertebral e as dores, limitação dos movimentos e artrose no quadril.
Nós preparamos um F.A.Q. com 27 perguntas e respostas sobre artrose no quadril.

Saiba como ficar livre das dores e evitar a cirurgia

  • Como eliminar as dores?

    Entenda como os hábitos de movimento e postura corporal são a principal causa do desgaste e dores, e o que fazer para não sentir mais dores no quadril.

  • Artrose não é uma doença degenerativa.

    Aprenda a mudar seus hábitos para afastar os ossos, proteger a articulação e as cartilagens, e recuperar a condição de normalidade da articulação do quadril.

  • Tratamento para artrose no quadril.

    Como e quais são as atividades físicas que ajudam a afastar os ossos para proteger a articulação e as cartilagens, para promover a recuperação do quadril.

  • O que você deve evitar.

    Exercícios de esforço repetitivo, remédios que inibem o controle do cérebro sobre a força dos músculos e movimentos, e tratamentos com aparelhos, que aceleram o desgaste das cartilagens no quadril.

Preencha o formulário e

baixe o PDF gratuitamente

Preencha com seu nome
Quantos anos você tem?

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Como identificar se você tem problemas na coluna que afetam o quadril

Você não consegue fazer uma caminhada mais longa por que as dores no quadril não deixam;

Você tem dificuldade de cruzar as pernas, colocar sapatos e meias, lavar os pés, cortar as unhas dos pés;

Após ficar algum tempo na posição sentada, sente dores quando vai levantar;

Sente dores no quadril quando vai se virar na cama;

Você não consegue fazer um esporte por conta das dores no quadril;

Você percebe que está com redução progressiva do tamanho da passada e/ou da abertura das coxas;

Sente muito peso e fraqueza no quadril;

Sente que o quadril não tem firmeza para equilibrar o corpo.

Nervos do abdôme e quadril

No mapa dos dermátomos é possível observar de onde saem os nervos da medula espinhal.
Abdôme tem raízes neurais de T6 até L1
Quadril tem raízes neurais de L1 até S4

E você sabe por que não consegue se livrar das dores no quadril?

Se você tem dores, limitação dos movimentos e desgaste no quadril, que te impedem de fazer coisas simples do dia-a-dia, e tudo que já fez para melhorar ainda não surtiu o resultado que esperava. Entenda por que:

As dores são causadas por hábitos inadequados de movimentos, que provocam encurtamento dos músculos, com a consequente aproximação dos ossos, que comprimem e machucam os nervos, principalmente na coluna vertebral.

Tratamentos que focam apenas no quadril, sem se preocupar com todas as outras partes do corpo, que influenciam diretamente nas dores do quadril.

Tentar fortalecer a musculatura, praticando atividades físicas de esforço repetitivo, com resistência de pesos, molas, borrachas, ou do próprio corpo, que aumentam ainda mais a tensão dos nervos e músculos.

Esses procedimentos apenas reforçam padrões de comportamento, movimento e postura corporal que você desenvolveu durante anos e já causaram os problemas no quadril.

E também a falta de uma correta orientação sobre os cuidados com o corpo, que facilmente iriam prevenir as dores, limitação dos movimentos e desgaste do quadril.

Saiba que você nasceu para se movimentar e ser livre

Mas para que isso aconteça, você precisa mudar os padrões de comportamento, movimento e postura corporal que causaram os problemas no quadril.

Conheça o caso de pessoas que já mudaram seus hábitos e se livraram das dores no quadril.

Dores que impediam cuidar da própria casa

Após 4 anos com limitação dos movimentos devido as dores imobilizantes na coluna lombar e quadril.
Ângela começou a praticar nossos exercícios terapêuticos de alongamento em relaxamento em casa.

Reduziu medidas e definiu seu abdôme

Quando Eronildes começou a praticar os exercícios terapêuticos, seu medo era ficar sem andar.
Com apenas 3 meses de tratamento, não sentia mais nenhuma dor.

Você também pode obter resultados de recuperação como Ângela e Eronildes conquistaram praticando nossos exercícios terapêuticos de alongamento em relaxamento.

Você já teve a indicação para operar o quadril, mas tem medo?

Desenvolva novos hábitos e tenha liberdade para se movimentar sem dor.

Exercícios Terapêuticos de alongamento em relaxamento e seus efeitos sobre a articulação do quadril.

Dores no Quadril: os exercícios terapêuticos afastam as vértebras, descomprimem os nervos, aliviam as tensões dos nervos e músculos, normalizando a sensibilidade do quadril.

Artrose no Quadril: liberam aderências nos tecidos moles, promovem o afastamento dos ossos, parando o atrito e desgaste entre as cartilagens.

Fraqueza no Quadril: afastam as vértebras, descomprimem os nervos, aliviam as tensões dos nervos e músculos, normalizando a correta comunicação entre o cérebro e o quadril.

Instabilidade Articular no Quadril: exercícios terapêuticos promovem o afastamento dos ossos até esticar todos os ligamentos, para corrigir a biomecânica e estabilizar a articulação.

Impacto Femoroacetabular: descomprimem os nervos, e facilitam o controle do cérebro sobre a força dos músculos e movimentos, conseguindo assim manter o afastamento dos ossos, parando o impacto femoroacetabular.

Lesão do Labrum: afastam e mantém a distância e o alinhamento corretos entre quadril e fêmur, parando o impacto do fêmur no labrum acetabular.

Pubalgia: corrigem a posição do quadril, aliviam as tensões do tórax, afastando tórax e quadril, para afastar as vértebras na coluna lombar, e descomprimir os nervos, até eliminar as dores da pubalgia.

Sacroileíte: corrigem a posição do quadril e das vértebras lombares, descomprimindo os nervos, eliminando as dores da sacroiliíte.

Osteonecrose da Cabeça Femoral: aliviam a tensão dos nervos, promovendo a normalização do calibre das artérias, fator que facilita a circulação do sangue e a nutrição dos ossos e demais tecidos, na articulação coxofemoral.

Dores na Virilha: afastam tórax e quadril, descomprimem os nervos na coluna lombar, aliviam as tensões dos nervos e músculos, eliminando as dores na virilha.

Tendinite no Quadril ou Tendinite Trocantérica: eliminam as tensões e encurtamentos musculares, tirando a sobrecarga dos tendões, eliminando a tendinite.

Bursite no Quadril ou Bursite Trocantérica: aliviam as tensões dos nervos e músculos, tiram a sobrecarga dos tendões, descomprimem as bursas, eliminando a causa da bursite.

Síndrome do Piriforme: corrigem a posição do quadril e das vértebras lombares, descomprimindo os nervos, aliviando as tensões e dores no músculo piriforme, que se descontrai e descomprime o nervo ciático, eliminando a dor na nádega.

Dor no Cóccix: corrigem a posição do quadril e das vértebras lombares, descomprimindo os nervos na cauda equina, eliminando as dores no cóccix.

A mudança nos padrões de comportamento, movimento e postura corporal são conquistados gradativamente, e um pouquinho a cada dia.
Para entender melhor a relação entre a coluna vertebral e os problemas do quadril, preparamos um F.A.Q. com 27 perguntas e respostas.

Este post tem 10 comentários

  1. Catia Cilene Meirelles Gonçalves Coelho

    Tenho muitas dores dificuldades para andar mas agora que comecei a fazer os exercícios estou me sentindo bem melhor graças a Deus estou até fazendo meus afazeres domésticos só que não posso ficar muito tempo de pé pois sinto muitas dores as pernas chegam ficar bem travadas até para sentar é difícil

    1. Audinei Neves

      É um processo gradativo para recuperar a condição de normalidade do corpo.
      A cada dia você desenvolve um pouco mais de controle do cérebro sobre a força dos músculos e movimentos.
      A cada dia você vai conseguir fazer melhor suas atividades.
      Cada dia menos tempo sob tensão e mais tempo em relaxamento.

  2. Já vi alguns vídeos, em especial o da artrose /artrite das mãos. Gostei muito . Estou praticando alguns exercícios. A melhora do desconforto da mão direita foi quase instantânea.
    O pescoço ainda está “travado”, com pouca mobilidade. Minha mãe morreu em maio com Covid, mais pessoas hospitalizadas, muita tensão. Se Vc vier a Curitiba gostaria de fazer consulta e alguma terapia.

    1. Audinei Neves

      Boa tarde.
      Nosso corpo é sustentado contra a ação da gravidade, de baixo para cima, o escoramento começa pelos pés e vai subindo. O quadril escora a coluna lombar, a lombar escora a torácica, a torácica escora a cervical que escora a cabeça, abrindo espaço entre as vértebras para descomprimir os nervos.
      Vértebras mais próximas e fora do alinhamento, comprimem os nervos e alteram a sensibilidade e controle dos movimentos.
      Precisa afastar as vértebras para descomprimir os nervos.
      Nossos exercícios terapêuticos são para afastar e alinhar as vértebras.
      Temos programas de exercícios terapêuticos gravados em vídeo aulas para praticar em casa.
      Nossa abordagem envolve o corpo todo.
      Para obter os resultados citados nos vídeos, acesse o link https://vivasemdor.com/terapias/

  3. Lucas Assis

    Boa noite. Tenho impacto fêmoro acetabular dos tipos CAM e PINCER. É uma espécie de calo/hematoma ósseo na cabeça do fêmur. Já fiz a raspagem desse calo no quadril direito através da cirurgia. Mesmo com esse calo ósseo eu posso fazer esses exercícios e evitar a cirurgia? Da pra tirar o impacto (quadril esquerdo) desse calo com o acetábulo sem precisar de cirurgia? Fiquei bastante motivado quando vi que tinha essa possibilidade de talvez não precisar da cirurgia. Tenho a esperança de voltar a surfar e jogar futebol. Muito obrigado

    1. Audinei Neves

      Para evitar a cirurgia precisa afastar os ossos e assim aumentar a Amplitude De Movimento da articulação.
      Nosso corpo é sustentado contra a ação da gravidade, de baixo para cima, o escoramento começa pelos pés e vai subindo. A coxa escora o quadril, o quadril escora a coluna lombar, a lombar escora a torácica, a torácica escora a cervical que escora a cabeça, abrindo espaço entre as vértebras para descomprimir os nervos.
      Dessa maneira você aumenta o controle do cérebro sobre a força dos músculos e movimentos.

      Independente do sintoma ou diagnóstico, o mais importante é a avaliação funcional, para saber como estão suas articulações.
      3 testes são necessários para avaliar a condição geral do seu corpo:

      Teste 1 para avaliar ombros: Levantar um braço de cada vez, como se fosse pegar um livro numa prateleira bem alta.

      Teste 2 para avaliar o quadril: Sentar numa cadeira, com os pés no chão, os pés afastados, soltar o corpo para frente até encostar as mãos no chão, como se fosse pegar uma caneta que caiu no chão.

      Teste 3 para avaliar joelhos: Deitar na cama de barriga para baixo, dobrar um joelho de cada vez e aproximar o calcanhar da nádega. Pode puxar o pé com a mão ou utilizar uma tira de pano amarrada no tornozelo para realizar o teste.
      Com essas respostas consigo saber se tem limitação dos movimentos nas articulações do ombro, quadril e joelho.

      ATENÇÃO:
      Esses são apenas testes. Faça apenas uma vez.
      Estes não são os exercícios que você vai praticar
      Após fazer os 3 testes, escreva contando como foi, se conseguiu fazer os 3 ou não, e qual foi a dificuldade.
      Assim poderei indicar o programa de exercícios adequado ao seu caso.

  4. Eliana Martins

    Boa noite Dr. Audinei. Muitos parabéns pelo carinho como orientas aos que sofrem com dores dos problemas ósseos. Gostaria de saber se o senhor pode orientar minha filha que sofre com muitas dores devido as consequencias da doença rara que a atormenta que é, a Sindrome de Heller Danlos. Entre muitas complicações consequentes da sindrome, a de origem reumática causa muita limitação porque ocorre desgaste das cartilagens, e deslocamentos de juntas como no ombro, tornozelos, e maxilares ,por exemplo. Também ocorre pouco desenvolvimento muscular nos jovens entre outros sintomas . Minha filha hoje tem 40 anos , mas como o diagnóstico levou anos para se revelar perdemos a possibilidade de adequar um tratamento preventivo de fortalecimento aos músculos e óssos na fase mas jovem da vida por não saber atempadamente do que se tratava. Hoje estamos lidando com Ns problemas de difícil ou nenhuma solução em áreas sérias como pumões, coração e células entre outros, porque não ouve um diagnóstico sério na fase da infância. Ela tem dores ao abaixar-se e ao levantar-se. não pode correr, pisar firme, fazer caminhadas de duração, nadar, porque sente imensas dores ate para se virar na cama ao dormir. Tem fibrose pulmonar, dificuldades à respirar , anemia, arritmias, vitiligo, enfim muitos problemas derivados da sindrome e uma qualidade de vida limitada e cheia de dores. Vive como uma idosa de 60 anos ou mais. Se ao menos conseguisse um exercicio de fortalecimento aos músculos com resultado e meios de resolver o desgaste das cartilagens certamente que as dores seriam mais amenizadas e a qualidade de vida desta filha seria muito melhor sem dores para os anos que ainda lhe restam de vida nesta situação de portadora da sindrome. Agradecia que me desse uma resposta se for possível sobre orientação a nível de fisioterapia ou terapeutica de ossos para a situação em que estamos lidando . É muito triste ver um filho nesta condição. Espero que possas me dar uma esperança, eu creio. Deus te abençoe imenso pelo que tens abençoado a vida de muitos.

    1. Audinei Neves

      Bom dia Eliana.
      Fiz uma Live sobre Hipermobilidade nas articulações https://youtu.be/OSuZ4qBS-AM que vai te ajudar no entendimento dos procedimentos a serem seguidos.
      Temos os programas de exercícios terapêuticos de alongamento em relaxamento que ela poderá praticar com meu acompanhamento.
      Peço que envie mensagem aos meus cuidados para esse e-mail contato@vivasemdor.com para que eu possa orientá-la melhor.

  5. danusio mesquita

    bom dia Dr Audinei, tenho formigamentos nos pes, fiz umntratamento medico, considerado com neuropatia plantar. apos varios exames. medicado vitamina B6 e isiorerapias, nenhuam resultado positivo. so passava quando estava sob efeito dos remedios. como devo proceder . Danusio.

    1. Audinei Neves

      Formigamento nos pés é a coluna lombar comprimindo o nervo ciático.
      Precisa afastar as vértebras e descomprimir o nervo ciático.
      Acesse essa página do site https://vivasemdor.com/terapias/ e faça os 3 testes solicitados para saber qual programa de exercícios é mais indicado ao seu caso.

Deixe uma resposta